BLOG DO 

bloglogooficial.png

Aula Livre - Cátia de França

08.08.2019

Encontro de Alunxs Brasil Adentro - Edição Centro-Oeste

07.12.2018

Feliz dia do samba!

30.11.2018

Novidade no Canto: Oficina Livre Cantor Integral

18.09.2018

1/8
Please reload

Reflexões: o que faz de alguém um cantor?

04.08.2016

Dar voz a um texto, incorporar uma canção, deixar sua assinatura pessoal em palavras e melodias não obrigatoriamente suas, transmitir uma mensagem através da palavra cantada, por diversos meios. Essas são algumas pistas que seguimos ao tentar responder à pergunta: o que faz de alguém um cantor?

 

Cantar não é apenas acertar a melodia, não é apenas técnica vocal, não é decorar uma letra. Em seu livro O Cancionista, Luiz Tatit já aponta para a complexidade dessa ação. Diz ele: “Cantar é uma gestualidade oral, ao mesmo tempo contínua, articulada, tensa e natural, que exige um permanente equilíbrio entre os elementos melódicos, linguísticos, os parâmetros musicais e a entonação coloquial”. Em outras palavras, é tornar natural, através do corpo do cantor, a complexa relação entre texto e música, entre melodia e letra.

 

Tatit continua: “O cancionista é um gesticulador sinuoso com uma perícia intuitiva muitas vezes metaforizada com a figura do malandro, do apaixonado, do gozador, do oportunista, do lírico, mas sempre um gesticulador que manobra sua oralidade, e cativa, melodicamente a confiança do ouvinte.” Tornar o ouvinte cativo e atento: essa talvez seja a maior obra de qualquer cantor-cancionista.

 

 

 

 

 

Seguindo esse caminho, chegamos na figura do intérprete, como definido por Paul Zumthor: “O intérprete é o indivíduo de que se percebe, na performance, a voz e o gesto pelo ouvido e pela vista.” O intérprete pode ou não ser o compositor e, de fato, em sua ação, é pouco importante essa questão. Mas nessa pista que seguimos, ele acaba sendo o responsável por transmitir a mensagem contida na canção através de seu gesto, de seu corpo, materializado em sua voz, em sua maneira de dizer. Essa marca fica impressa nesse ouvinte cativo que não raro associa a obra ao cantor - quantas vezes não ouvimos a frase: “canta aquela da Elis?”.

 

O cantor-cancionista-intérprete está conectado com seu tempo, traz em seu corpo e em sua voz as emoções, os desejos, as motivações da época em que vive. Escolhe o que diz e como diz movido por esse desejo íntimo, e entretém o ouvinte quando seus desejos encontram ressonância com sua época. Quantas vozes não passam despercebidas e quantas nos marcam intensamente?

E, a partir desta reflexão, convido vocês que chegaram até aqui a contribuir com o nosso pensamento: o que faz de alguém um cantor?

 

 

 

Para se aprofundar, indicamos a leitura dos capítulos que fundamentaram esse reflexão:

Luiz Tatit - Dicção do Cancionista - em: O Cancionista, Edusp, 1996

Paul Zumthor - O Intérprete - em: Introdução à Poesia Oral, Huitec, 1997

Please reload

Please reload

#VEMPROCANTODOBRASIL