Cantora, compositora, educadora musical, curiosa, pesquisadora, provocadora, performer, dançadeira, produtora, na estrada há vinte anos, errante, instigada pelo som, pela escuta, ouvidos atentos, ativos, ávidos, vivos. Do som para o corpo, do corpo para a voz, a voz no corpo, corpo e voz no espaço.

Atualmente seu trabalho está direcionado a processos coletivos e colaborativos, improvisação e interação entre linguagens, principalmente da música e da dança. Participa de grupos com esse caráter, como o Coro Profano e a Nariz de Orquestra (ambos formados por estudantes da USP) e a Orquestra Corporal (dirigida por Fernando Barba e Stenio Mendes), na área da música. No campo da dança e da performance, participa como intérprete‐criadora, dançadeira e preparadora vocal da Companhia Giz de Cena, e do Coletivo AANGA de performance (dirigido por Miriam Dascal).

Tem em seu acervo sonoro dois discos autorais, Fora de Órbita, de 2005 (lançado no mundo real, independente, distribuição da Tratore), com o qual realizou diversas apresentações (SESC, Centros Culturais, casas noturnas, teatros) e No Mundaréu, de 2013 (lançado no mundo virtual, independente

e gratuito), que aos poucos vem se tornando real, através da apropriação que os coletivos fazem desse repertório. Participou como cantora de diversos trabalhos, com destaque para o CD Chiquinha em Revista (produzido por Gilberto Assis e Ana Fridman para o SELO SESC).

Formou‐se em Licenciatura em Música pela Universidade de São Paulo em 2015. Durante o período na universidade desenvolveu intensa pesquisa em processos criativos, com destaque para o trabalho de iniciação científica “Processos de criação coletiva para a canção brasileira” e para o TCC “Voz e Processos Criativos”. Participou ativamente de diversos congressos acadêmicos, tendo dois artigos publicados.

Possui experiência internacional em Processos Criativos direcionados a educadores musicais, ministrando, ao lado de Max Schenkman, oficinas nos Seminários Internacionais do FLADEM (Foro Latinoamericano de Educação Musical), com destaque para a Oficina Massiva “Voz e Criação Coletiva” apresentada no XX encontro do FLADEM na Costa Rica (2014) e para o concerto interativo da Nariz de Orquestra, 

apresentado no XXI encontro do FLADEM no Rio de Janeiro (2015).

Realizou em 2015 uma jornada pedagógica pela Guatemala e El Salvador, ao lado de Max Schenkman, ministrando oficinas de “Voz e Criatividade” e “Construção de instrumentos com materiais reutilizáveis”, para educadores musicais desses países, num projeto apoiado pelo Ministério da Cultura do Brasil e pelo FLADEM Guatemala e FLADEM El Salvador. Em 2016 levou as oficinas “Voz e Criatividade” e “Jogos de Nariz” para a cidade de Lima ‐ Peru.

É professora de canto popular e de percepção musical, regente coral, oficineira, preparadora vocal e facilitadora de processos coletivos. Em sua formação, teve aulas de canto popular e erudito, eutonia, dança contemporânea, danças brasileiras, desvendar da voz, improvisação vocal, regência coral, improvisação livre, percussão corporal, técnica Alexander, piano, violão, flauta e percussão brasileira.

#VEMPROCANTODOBRASIL